Um Olhar Filológico Sobre a Linguagem Médica: Origens e Desvios

Ana Isabel Correia Martins

Resumo


Este artigo visa dar um contributo histórico-linguístico ao estudo da terminologia médica de forma a despertar uma maior consciência para os seus usos, gizando uma reflexão mais minuciosa em torno de alguns termos técnicos. Daremos especial enfoque à análise de usos desviantes, numa tentativa de aferir o consequente grau de condicionamento na transmissão da mensagem. Se por um lado a língua é subsidiária de uma herança cultural greco-latina, por outro o seu uso ao longo da história vai promovendo variações e alterações, ora mais flagrantes ora mais imperceptíveis, num processo que é permanentemente evolutivo e dinâmico. A oralidade é, por natureza, um registo mais dinâmico e a escrita mais conservador. Nesse sentido, e no que concerne à escolha do corpus em análise, foi colhido e seleccionado junto de profissionais da área e confirmado e comprovado em documentos escritos. Encontrada uma tipologia para os exemplos coligidos, a análise é feita tendo a origem greco-latina como marca de água. Em tom de conclusão, iremos reforçar o carácter inventivo da linguagem técnica, sublinhando que as raízes das Línguas Clássicas serão sempre um forte catalisador neste processo de construção de novos termos técnicos acompanhando o avanço científico.

Palavras-chave


Este artigo visa dar um contributo histórico-linguístico ao estudo da terminologia médica de forma a despertar uma maior consciência para os seus usos, gizando uma reflexão mais minuciosa em torno de alguns termos técnicos. Daremos especial enfoque à anál

Texto Completo:

PDF

Apontadores

  • Não há apontadores.


 

Licença Creative Commons Desde 2011, todo o conteúdo (excepto onde indicado) está licenciado sob uma Licença Creative Commons 3.0.