Celulite Orbitária Pré e Pós-Septal em Idade Pediátrica: 17 Anos de Experiência

Mariana Domingues, Catarina Luís, Maria João Brito, Paula Correia

Resumo


Introdução: A celulite orbitária, pré e pós-septal, é a principal infeção dos tecidos e anexos do olho, tendo diferentes abordagens e implicações clínicas.
Métodos: Análise retrospetiva de crianças internadas num hospital de nível II da região metropolitana de Lisboa por celulite orbitária ao longo de 17 anos. Comparação entre celulite preseptal (CelPO) e infeção pós-septal (CelO) no que respeita à sua apresentação clínica, achados imagiológicos e tratamento. Os dados clínicos e abordagens diagnóstica e terapêutica foram ainda analisados antes e após instituição de um protocolo de atuação: 1996-2002 e 2003-2013, respetivamente.
Resultados: Incluídas 305 crianças: 241 CelPO e 64 CelO, homogeneamente distribuídos antes e depois da aplicação do protocolo de atuação (150 vs 155, respetivamente). Na CelO, o fator predisponente mais comum foi a sinusite (82,8 vs 46,9%, p<0,001) e a existência de portas de entrada foi rara (17,2 vs 40,7%, p<0,001). Laboratorialmente, constatou-se uma maior elevação da proteína C reativa (9,6 vs 4,4mg/dL, p<0,001). Após a instituição do protocolo, constatou-se um maior número de internamentos com atingimento pós-septal (29 vs 12,7%, p=0,001), com quadros clínicos mais exuberantes: mais fotofobia (p=0,001), dor ocular (p<0,001) e proptose (p<0,05); a sinusite foi mais frequentemente diagnosticada (p<0,05). Nesse período, registou-se ainda alteração na escolha e duração da antibioterapia, tendo sido o ceftriaxone a primeira opção na maioria dos casos, sem aumento do número de complicações.
Conclusões: A instituição do protocolo de atuação com critérios de internamento mais restritos levou à admissão preferencial de casos mais graves e maior racionalização da terapêutica, sem aumento significativo das complicações.

Palavras-chave


Doenças Celulite Orbitária/diagnóstico; Celulite Orbitária/terapia; Criança; Infeções Bacterianas; Protocolos Clínicos; Septo Nasal

Texto Completo:

PDF

Apontadores

  • Não há apontadores.


 

Licença Creative Commons Desde 2011, todo o conteúdo (excepto onde indicado) está licenciado sob uma Licença Creative Commons 3.0.